Início de uma História

Só em 1911 se deram, em Pombal, os primeiros passos para se Constituir uma Corporação de Bombeiros Voluntários.

Até aí eram as populações, mais ou menos organizadas, que se juntavam para combaterem as calamidades que surgiam, nomeadamente os incêndios, que constituíam um dos principais flagelos dessa época.

O resultado do seu esforço era, na maior parte dos casos, inglório, porque a voracidade das chamas nada poupava. Eram quase sempre espectadores impotentes, sem meios que lhes permitissem pôr cobro ao galopar imparável daquele demónio.

Foi isso que aconteceu em pombal, na madrugada de Sábado, 3 de Setembro de 1011, como relatou a imprensa da época.

Foi toda a Vila alarmada por gritos de fogo, na proximidade da estação da CP e por repetidos toques do sino, que chamava os habitantes a prestarem o seu auxílio.

in “Pombal 8 Séculos de História” de Joaquim Eusébio

A Corporação

Este infausto acontecimento serviu para despertar a consciência dos Pombalenses.

Foi, então, constituída uma Comissão Instaladora da Corporação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pombal, da qual faziam parte notáveis cidadãos pombalenses, como Heitor Augusto da Silva, Dr. Fernando Augusto César de Sá, Ildefonso Monteiro Leitão, Mário de Sousa, Manuel António Faria, Francisco Carreira e Tomás Luís da Cunha.

Desse grupo de cidadãos vieram a sair os primeiros dirigentes a quem coube a difícil tarefa de equipar, instalar e organizar a novel Corporação.

Mas, se esta foi a gota de água que fez com que estes notáveis se organizassem, já anteriormente, no dia 8 de Setembro de 1910, cerca da meia-noite, a população da Vila tinha sido sobressaltada aos gritos de fogo e ao toque dos sinos a rebate para acudirem à padaria do Senhor Gerardo da Silva que estava a arder, na então Rua da Misericórdia.

E isto sem falar nos incêndios florestais que eclodiam, aqui e acolá, nomeadamente ao longo da linha do caminho-de-ferro, provocados pelas fagulhas das máquinas a vapor, que a população ia debelando ou o registo da imprensa de então que refere "o pasto de chamas" nos pinhais por malfeitoria de "selvagens" que propositadamente os incendiavam.

Assim, o Centro União Republicana Pombalense convidou os seus sócios e outros cidadãos pombalenses, para se reunirem no Teatro da Vila, no dia 5 de Setembro de 1911, a fim de criarem uma Corporação de Bombeiros na Vila de Pombal porque:

"…a creação duma corporação de bombeiros numa terra como Pombal é mais útil, da mais inadiável necessidade, do que fazer jardins que só munícipes com bons recursos podem custear..." 

Bombeiros Fundadores 

1º Comandante - José dos Santos

2º Comandante - Ricardo Augusto da Silva

José Maria Ferreira

Francisco Maria Ribeiro Carreira

Delfim Crispiniano

Joaquim António

Joaquim Rodrigues

Luiz da Silva

Amadeu Leitão

Luiz dos Santos

Manuel Rodrigues da Motta

Francisco Rodrigues

Francisco Lopes

Ayres das Neves

Bernardo Antunes Malcata

Alfredo Correia Marques

Ernesto das Neves

António da Conceição

João Antunes

José Raul da Silva

Luiz Batista

Rodrigo Cordeiro

Januario Mendes da Silva

Luiz António de Faria

António Gonsalves

António da Silva

Severino Ramos

José da Silva

Merciano Pimenta

Clarim

Rodrigo da Silva (auxiliar)

Manuel Augusto da Silva (auxiliar)

João Crispiniano (auxiliar)

Carlos Francisco dos Reis (auxiliar)

Edmundo Mendes Cabral (auxiliar)

João Pereira da Silva (auxiliar)

Francisco Ribeiro Carreira

Artur da Silva (auxiliar)

Quartel dos Bombeiros Voluntários de Pombal localizado na

Avenida Heróis do Ultramar e inaugurado em 14 de Maio de 1961,

por ocasião das Comemorações do 50º Aniversário

 

Quartel dos Bombeiros Voluntários de Pombal,

inaugurado a 18 de Maio de 2003

 

 

A 5ª Secção em Albergaria dos Doze, agora 3ª Companhia,

foi homologada em 1986 e o Quartel foi inaugurado em 25 de Junho de 1989

 

A 6ª Secção no Louriçal, agora 4ª Companhia,

foi homologada em 1988 e o Quartel foi inaugurado em 25 de Junho de 1989.

 

Quartel da 5ª Companhia na Guia,

inaugurado a 12 de Setembro de 2010

 

Quartel do Destacamento no Carriço,

foi inaugurado em 3 de Junho de 2007